De regresso ao Reino de Portugal, após o Naufrágio, Camões acorda numa praia, atordoado e com mil imagens na cabeça que tanto o perturbam, mas sem qualquer nexo. O Sonho e a Realidade confundem-se.....

Ele chora a perda da mulher amada: Dinamene, a chinesa, "aquela cativa que me tem cativo"... Ela, que viajou em sua companhia, não sobreviveu ao naufrágio.



Luís Vaz levanta-se, caminhar trôpego, desconsolo e diz:



"Alma minha gentil, que te partiste
Tão cedo desta vida, descontente,
Repousa lá no céu eternamente
E viva eu cá na terra sempre triste."

LVC





Simplesmente maravilhoso!!!



Há quem ainda se recorde e sinta os traumas do tempo do "Liceu" em que Camões era estudo obrigatório (actualmente não sei se ainda será!!!!!), felizmente esse não foi o meu caso pois esse estudo foi muito gratificante.



Mas, para quem se lembra desse tempo, com boas lembranças sobre o tema, Camões foi o homem que melhor descreveu sentimentos, com palavras simples ....... e tão actuais!



Eu não sou romântica daí a minha preferência literária centrar-se mais nos poetas mais antigos da história literária portuguesa.......



Quem não gosta de literatura, de poesia e de Luíz vaz de Camões, passa à frente.......





MCV
publicado por lunamargarida às 18:45